Brasil e Paraguai assinam acordo de cooperação mútua em CT&I

Separados pela Foz do Iguaçu, Brasil e Paraguai deram mais um passo para aproximar suas realidades, não de forma territorial, mas por meio das atividades científicas e tecnológicas. Representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia do Paraguai (Conacyt, na sigla em espanhol) assinaram em Assunção, capital do país vizinho, um memorando de entendimento para a cooperação e a capacitação de recursos humanos em CT&I.

O acordo prioriza, entre vários tópicos, o intercâmbio de conhecimento, ações de popularização da CT&I, o desenvolvimento científico e tecnológico conjunto e a interconexão física de redes acadêmicas. A ideia é identificar soluções para os problemas das sociedades locais.

“A elevação da CT&I entre os vizinhos é um objetivo importante e desejável. Devemos fazer dessa reunião um marco das nossas relações, com cronograma, prazos e metas para nossas ações”, afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo.

Brasil e Paraguai vão se alinhar em prol do desenvolvimento científico e tecnológico conjunto nas áreas de biotecnologia e saúde, com a capacitação de laboratórios; Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), por meio do estímulo à participação do país vizinho em chamadas do programa Start-Up Brasil, por exemplo; e iniciativas de difusão e popularização da ciência e produção de tecnologias de inclusão social.

Para ampliar o intercâmbio de conhecimento, o Paraguai deve contar com o apoio institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) na melhoria de seus sistemas de avaliação de projetos e concessão de bolsas de estudo. Os dois países buscam, ainda, integrar suas cadeias produtivas e trocar experiências em inclusão social.

Já a interconexão física das redes acadêmicas tem por objetivo fortalecer a infraestrutura compartilhada para pesquisa e educação, de forma a permitir a sua integração aos demais países do Mercosul. Participam do trabalho a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), a plataforma paraguaia Arandu e a fundação Parque Tecnológico de Itaipu (PTI).

A parceria tem como formas de trabalho missões técnicas e reuniões bilaterais, intercâmbio de informações em bases de dados, atividades conjuntas de divulgação de conhecimento e fortalecimento do contato entre organizações sociais, instituições públicas e empresas públicas e privadas dos dois lados.

Fonte: Agência Gestão CT&I, com informações do MCTI