| Em 04/12/2017

Entidades científicas pedem ao Congresso que libere ao menos R$ 1,6 bilhões da reserva de contingência do FNDCT no PLOA 2018

A SBPC, juntamente com outras 12 entidades científicas e acadêmicas encaminharam nessa quinta-feira, 30, ao presidente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização, senador Dário Berger, e ao relator-geral do Orçamento de 2018, deputado Cacá Leão, uma carta solicitando que autorizem retirar, da reserva de contingência do Fundo Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) no PLOA 2018, pelo menos 1.6 bilhões de reais para que o País possa manter atividades essenciais na área de Ciência, Tecnologia e Inovação.

“O futuro do País está em suas mãos”, pontuam os signatários do documento. Conforme argumentam na carta, esse dinheiro possibilitará viabilizar importantes ações nesta área, tais como a operação de supercomputador para tratamento de Big Data; produção de radiofármacos; produção de combustível para as usinas nucleares; manutenção do cronograma, ora em atraso, para o desenvolvimento e construção de dois satélites brasileiros de sensoriamento remoto; construção do Sirius, a fonte de luz sincrotron de quarta geração; e a continuidade das bolsas de estudos do CNPq, que são fundamentais para a formação de recursos humanos qualificados, uma vez que cerca de 15% delas não seriam pagas na presente situação, já que tais recursos são provenientes do FNDCT.

Além da SBPC, assinam o documento a Academia Brasileira de Ciências (ABC), a Academia Nacional de Medicina (ANM), a Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti), a Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), a Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), o Conselho Nacional dos Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti), o Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (Foprop), o Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec) e o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Leia o documento na íntegra aqui.

Fonte: Jornal da Ciência.