Faperj lança a quarta edição do Programa Startup Rio

A Faperj divulgou nesta quinta-feira, 28 de junho, o lançamento da quarta edição do programa Startup Rio, criado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social (Sectids) e desenvolvido em parceria com a Faperj. Por meio do edital Startup Rio 2019: Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro, o estado selecionará até 130 propostas de start-ups fluminenses, sediadas no Estado do Rio de Janeiro, que contemplem os segmentos de Games e Serviços de Internet, Aplicativos para Internet, Tecnologias Sustentáveis e Mídias Digitais, com foco na convergência digital, uso da Internet das Coisas e de aplicações para cidades inteligentes. Os interessados podem fazer suas inscrições até o dia 27 de agosto de 2018. Os recursos alocados para financiamento do edital serão, ao todo, da ordem de até R$ 6.720.000,00.

O Programa tem como objetivo fomentar o desenvolvimento com qualidade do ecossistema de empreendedorismo digital no Estado do Rio de Janeiro, criando uma massa de protótipos e empreendedores que possam ser validados e apropriados pelo mercado, com fundamento no incentivo a ideias que podem vir a se tornar empresas nascentes de base tecnológica, visando transformar o Estado do Rio de Janeiro num ambiente propício e atrativo para o desenvolvimento de todo o ecossistema relacionado ao empreendedorismo digital.

Serão selecionadas pelo edital até 100 propostas para participação do Programa na cidade do Rio de Janeiro; até 15 propostas de proponentes residentes na Região Serrana para participação do Programa na cidade de Petrópolis; e até 15 propostas de proponentes residentes na Região Sul Fluminense  para participação do Programa na própria região, dos quais, após oito semanas de participação no projeto, serão selecionados 50 dos participantes do Rio de Janeiro, 10 da Região Serrana e 10 da Região Sul Fluminense, para receberem, cada um, recursos financeiros de até R$ 96.000,00.

O principal diferencial do Startup Rio, em relação a editais lançados por outras instituições e voltados à promoção das startups – as jovens empresas nascentes de base tecnológica –, é priorizar pessoas físicas com boas ideias. “O principal diferencial do Programa é o fato de o proponente ser a pessoa física, de posse de uma criação, ou seja, alguém avaliado como sendo capaz de vir a criar uma startup e que, para tanto, receberá capacitação adequada e recursos financeiros, diferente de diversos outros programas, que recebem empresas, com CNPJ, já existentes há algum tempo e, preferencialmente, já tendo recebido algum investimento. Ou seja, o Programa Startup Rio acelera o início da criação e validação das startups pelo seu mercado. Damos oportunidades a pessoas físicas que tenham boas ideias, e suporte para que elas transformem essas ideias em pessoas jurídicas”, disse o assessor da Diretoria de Tecnologia da Faperj e coordenador do projeto Startup Rio, Marcos Neme. No Rio, o programa possui espaços de coworking em sua sede situada na Rua do Catete 243, na Zona Sul da cidade.

O proponente elegível para participação no programa é a pessoa natural, não ocupante de cargo efetivo, cargo militar ou emprego público, que seja inventor, obtentor ou autor de criação que, com o apoio de sua equipe (com até duas pessoas, além do proponente), poderá se constituir como startup nos segmentos de Games e Serviços de Internet, Aplicativos para Internet, Tecnologias Sustentáveis e Mídias Digitais, com foco na convergência digital, uso da Internet das Coisas e de aplicações para cidades inteligentes, sediadas no Estado do Rio de Janeiro.

A seleção dos projetos, que deverão ser cadastrados no SisFaperj, se dará por um Comitê de Seleção, designado pela diretoria da Faperj em conjunto com a Sectids, que analisará os seguintes aspectos dos projetos, conforme definido no edital: adesão aos termos do edital; relevância da proposta para a Difusão do Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro; o mérito do projeto e a relevância das ações propostas em relação à diferenciação, originalidade, fatores de inovação do produto/serviço e potencialidades do mercado, escalabilidade e aplicabilidade; o detalhamento do negócio, incluindo planejamento e orçamento; a clareza na definição das metas a serem atingidas; e o currículo do proponente e de cada um dos demais membros da equipe.

Será considerada a relevância da proposta para a Difusão do Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro, nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação, Energia, Saúde, Educação, Transporte, Segurança e Economia Criativa (turismo, esporte, cultura, lazer, design, arquitetura, games, artes, moda, música, literatura), principalmente no desenvolvimento de soluções utilizando a Internet das Coisas para a promoção de cidades inteligentes tais como: vendas e reposição proativa e melhoria de serviços; melhoria do conhecimento de clientes; gerenciamento do consumo de energia; serviços de transporte (parquímetros e pontos de ônibus inteligentes); fomento da utilização de dados públicos em benefício da sociedade; e desenvolvimento de aplicações da tecnologia da informação à área médica; coletando e organizando dados de dispositivos conectados e de tecnologia vestível (wearable technology).

Startup Rio 2019 terá duas fases. Na primeira, as propostas selecionadas participam do Programa Avançado de Formação Empreendedora (Pafe). Neste período, com duração de oito semanas, os empreendedores têm acesso a treinamentos, consultorias e atividades afins de nivelamento, técnicas de gestão, validação da ideia e construção de plano de negócios. Depois de avaliados, até 70 projetos selecionados seguem para a fase 2, quando recebem os recursos financeiros no valor de até R$ 96 mil, além de supervisão dos projetos pela equipe do Startup Rio, serviços de mentoria e treinamento em desenvolvimento de produto, técnicas de vendas, construção de protótipo e gestão de empresas. Esta segunda fase dura 13 meses e tem carga horária obrigatória mínima de 20 horas semanais, a ser cumprida por pelo menos um membro de cada equipe.

Cada projeto deverá apresentar uma equipe responsável, constituída por até três pessoas, incluindo o coordenador do grupo, que será o proponente. O Startup Rio conta com diversos apoiadores, entre eles o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Sociedade Núcleo de Apoio à Produção e Exportação de software do Rio de Janeiro (Riosoft), a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-RJ), Microsoft, Google, Amazon Web Services (AWS), Oi, Oracle e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). As três edições do programa receberam 127 projetos em sua primeira fase, das quais foram selecionadas 90 para receber os recursos financeiros e participarem das fases seguintes.

Confira a íntegra do edital StartUp Rio 2019: Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro

Fonte: Comunicação Faperj.

Tags: