Fapern participa de reunião com o presidente da Embrapii

Na manhã da última terça-feira (9) a Fundação de Apoio à Pesquisa Estado do Rio Grande do Norte (Fapern) participou no Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER) de uma  reunião com o presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Jorge Guimarães, que tratou da oportunidade de trazer a primeira unidade da Empresa para o Estado do Rio Grande do Norte.

O presidente da Embrapii falou da iniciativa da Empresa para o desenvolvimento da instituições parceiras. “Temos uma iniciativa muito nobre, mas muitos setores e muitas instituições ainda não perceberam as oportunidades e as vantagens de um modelo operacional que é bastante diferente dos outros que temos no Brasil, visando o apoio à inovação e a pesquisa aplicada, com foco nas demandas das empresas”.

Jorge Guimarães também falou sobre o modelo de negócio e vê o Rio Grande do Norte com potencial para ter uma unidade. “O modelo tem sido muito bem aceito, pois é bem competitivo e aqui no Estado, vejo perspectivas, pois as universidades estão se preparando bastante na área tecnológica, que é o nosso foco. Por tanto vejo boas oportunidades”.

Visando a vantagem competitiva e o desenvolvimento, as unidades devem atuar pensando sempre em expandir suas fronteiras. “Como o modelo não tem um caráter local. E que a demanda é de caráter global, muitos dos produtos são voltados para o mercado global e portando os trabalhos que as unidades fazem com as empresas é visando esse tipo de inovação, que é capaz de gerar produtos de interesse global”. Afirmou Jorge Guimarães.

Para o diretor-presidente da FAapern, Uílame Umbelino Gomes, a visita do presidente da Embrapii é fundamental o desenvolvimento do Estado. “Realmente é uma questão fundamental, pois todos os estados do país estão correndo atrás com isso, pois a inovação é a alavanca do crescimento econômico e do desenvolvimento”.

“A visita foi extremamente importante, pois trabalhamos com a ideia de uma unidade Embrapii no Estado. Toda a unidade tem sua temática especifica e no caso do RN seria Materiais, que é forte no Estado e energias alternativas que é a vocação forte do CTGAS-ER. Agora é trabalhar e submeter aos editais para que tenhamos o 1º polo Embrapii no RN”, afirmou o presidente da Fapern sobre o interesse do CTGAS-ER em ser uma unidade Embrapii.

Já o secretário de Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo ressaltou a importância da Empresa para o desenvolvimento do Estado. ” A presença da Embrapii é uma renovação de esperança. Essa área de Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) é fundamental para o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte, pois é focando em Inovação que poderemos atrair recursos”.

Após a reunião houve uma visita técnica as instalações do Centro e toda a sua infraestrutura. Participaram da reunião, presidente do Sistema Fiern, Amaro Sales; a diretora executiva do CTGAS-ER, Cândida Amália Aragão; o diretor de Inovação da Fapern, Julio Rezende; o diretor de Inovação da Fiern, Djalma Barbosa; a diretora Regional do SENAI-RN, Roseanne Azevedo; o diretor de Operações do SEBRAE/RN, Eduardo Viana e o coordenador de Pesquisas do CTGAS-ER, Paulo Isabel.

Embrapii
A Embrapii é qualificada como uma Organização Social pelo Poder Público Federal desde setembro de 2013. A assinatura do Contrato de Gestão com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) ocorreu em 2 de dezembro de 2013, tendo o Ministério da Educação (MEC) como instituição interveniente. Os dois órgãos federais repartem igualmente a responsabilidade pelo seu financiamento.

Ela atua por meio da cooperação com instituições de pesquisa científica e tecnológica, públicas ou privadas, tendo como foco as demandas empresariais e como alvo o compartilhamento de risco na fase pré-competitiva da inovação. Ao compartilhar riscos de projetos com as empresas, tem objetivo de estimular o setor industrial a inovar mais e com maior intensidade tecnológica para, assim, potencializar a força competitiva das empresas tanto no mercado interno como no mercado internacional.

Fonte: Assecom Fapern.

Tags: