| Em 28/05/2018

Governo apresenta resultados das pesquisas para gerenciamento da costa capixaba

As zonas costeiras representam um dos maiores desafios para a gestão ambiental do País. As mudanças e evoluções dos marcos legais do Gerenciamento Costeiro no Brasil vêm reforçando a necessidade de gerenciar, de forma integrada e participativa, as ações antrópicas na Zona Costeira e sua compatibilização com o meio ambiente.

Com objetivo de orientar, divulgar e mobilizar os pesquisadores capixabas, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), em parceria com a Secretaria de Estado para Assuntos do Meio Ambiente (Seama) e o Instituto Estadual do Meio Ambiente (Iema), realizou, na segunda-feira (21),  o Seminário de Apresentação dos resultados parciais e finais dos projetos do Edital – Pesquisa Aplicada às Políticas Públicas Estaduais de Gerenciamento Costeiro do Espírito Santo.

Para o diretor-presidente da Fapes, Jose Antonio Bof Buffon, a ação visa apoiar projetos que englobem aspectos ambientais e socioeconômicos para geração de conhecimentos da forma distribuição e intensidade da exploração do espaço costeiro-marinho, essenciais para o delineamento de políticas públicas mais efetivas e factíveis em longo prazo, a fim de garantir a sustentabilidade da pesca capixaba. “Com os estudos realizados temos mais condições de identificar o grau de vulnerabilidade das espécies representativas da Ictiofauna capixaba, para definição de manejo e medidas necessárias à sua conservação”, afirmou Buffon.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEAMA), Aladim Cerqueira ressaltou a importância do desenvolvimento dos projetos para o Estado. “Ter dois estudos das nossas zonas costeiras, é motivo de orgulho para o governo e demonstra a força dos nossos pesquisadores capixabas. E o seminário consolida não apenas o olhar responsável sobre gestão ambiental mas também sobre as parcerias científicas de qualidade que estamos promovendo”.

 

Projetos:

1 – Distribuição e estrutura das comunidades de peixes recifais e identificação de agregações reprodutivas no Espírito Santo – Coordenador Maurício Hostim Silva – Edital FAPES/SEAMA/IEMA nº 02/2016 – Políticas Públicas Estaduais: Gerenciamento Costeiro do Espírito Santo.

Objetivo: Modelar os padrões de ocorrência, distribuição, diversidade e abundância das espécies de peixes recifais ao longo de um gradiente latitudinal na costa capixaba, indicando os locais de ocorrência de agregações reprodutivas dos peixes das famílias Epinephelidae e Lutjanidae, indicando os locais prioritários para a
conservação, produzindo, assim, subsídios para a gestão ecossistêmica desta região.

2 – Mapeamento de Habitats marinhos da plataforma continental do Espírito Santo – Coordenador Alex Cardoso Bastos – EDITAL FAPES Nº 14/2013 – Pesquisa Aplicada a Políticas Públicas Estaduais.

Objetivo: O principal objetivo a ser alcançado é o mapeamento de habitats marinho e suas comunidades bentônicas associadas ao longo da plataforma interna dos ES, considerando o seu Mar Territorial (12 milhas).

Os objetivos específicos da proposta são:

– Mapeamento geológico e geomorfológico do fundo marinho;

– Caracterização da comunidade bentônica associada aos diferentes tipos de fundo marinho (habitats);

– Mapeamento dos terraços de abrasão ao longo da linha de costa

–  Preparação de um banco de dados em sistema de informação geográfica

Fonte: Comunicação Fapes.