Melhorias para a saúde catarinense são apresentadas em seminário final do PPSUS

Nesta semana, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) promoveram o seminário de avaliação final do PPSUS (Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde), chamada 7/2013. Foram apresentados resultados de 32 projetos de pesquisa voltados para a melhoria do atendimento público de saúde local. O edital teve investimento de R$2,3 milhões em projetos de diversos temas, como: prática de atividades físicas, cirurgia bariátrica, tratamento da artrite reumatoide, lesão medular, câncer do colo do útero, cirrose hepática, satisfação de usuários da rede de Atenção Básica e câncer de mama.

“O seminário fecha o ciclo da edição do PPSUS, pois é quando o pesquisador entrega o resultado da sua pesquisa para o gestor de saúde, e tem possibilidade de ter seu estudo incorporado pelo sistema. As pesquisas em Santa Catarina têm grande potencial em dar respostas aos problemas de saúde”, diz Giliana Betina, representante do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, que acompanhou as apresentações. Ela destaca que a característica do Decit, que também fomentou o programa, é apoiar pesquisas aplicadas.

Um dos resultados apresentados foi o do projeto que estudou a implementação do programa VAMOS nas Unidades Básicas de Saúde de Florianópolis. Com o slogan Vida Ativa Melhorando a Saúde, o projeto tenta incentivar a mudança de comportamento e motivar as pessoas a adotarem um estilo de vida saudável por meio da prática de atividades físicas e alimentação saudável. A pesquisa foi coordenada pela professora Tânia Benedetti e detectou que as principais estruturas para receberem grupos para práticas de atividades físicas foram parquinhos infantis, academias ao ar livre e campos de futebol, pois 39% das praças e jardins apresentavam condições ruins de uso. O programa VAMOS já foi adotado em três cidades, Florianópolis, Belo Horizonte e Recife, com participação de 227 pessoas e apoio de 6 instituições.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da Fapesc.

Tags: