Novos gestores do CONFAP assumem dia 17 de março

Consolidar o Sistema Nacional de CTI  (Ciência, Tecnologia e Inovação) e seu novo arcabouço legal, promover maior articulação entre as FAPs (Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa), fortalecer a internacionalização da pesquisa e contribuir com a popularização da ciência são algumas das metas dos professores  Maria Zaira Turchi  e Claudio Furtado, respectivamente presidente e vice-presidente do CONFAP (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa).

Eles também pretendem ampliar parcerias com agências federais e internacionais, incentivar a implantação de Leis Estaduais de Inovação – ou sua atualização em face do novo Código de Ciência e Tecnologia -, bem como implementar um programa de estímulo ao empreendedorismo inovador em parceria com o MCTIC (Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações). Essas e outras ações foram anunciadas durante o Fórum CONFAP, encerrado em São Paulo, no dia 10 de março (abaixo, foto de Nubia Rodrigues – Ascom FAPEG).

Naquela sexta-feira, a então vice-presidente do CONFAP e presidente da FAPEG (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás), Professora Maria Zaira Turchi, e o presidente da FAPESQ (Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba), Professor Claudio Furtado, foram eleitos por aclamação pelos colegas e vão dirigir o Conselho até março de 2019.

Para o Conselho Fiscal do CONFAP, foram escolhidos: Evaldo Vilela, que preside a FAPEMIG (Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Minas Gerais). Também fazem parte os titulares Mary Guedes, presidente da FAPEAP (Fundação e Amparo à Pesquisa do Estado do Amapá); e Fábio Guedes, presidente da FAPEAL (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas). O suplente é Odir Dellagostin, diretor presidente da FAPERGS (Fundação e Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul).

Presença feminina

Primeira mulher a comandar a instituição, a Professora Zaira quer promover mais ações conjuntas entre as FAPs. “Vamos trabalhar segundo as perspectivas de cada estado, na sua capacidade instalada de pesquisadores na região e nos seus limites, em diálogo com outras regiões. Isso é que contribui para que de fato possamos fortalecer a ciência, a tecnologia e a inovação no Brasil como um todo”, disse. Ela apresentou outras propostas para o biênio 2017-2019, como o fortalecimento das ações de internacionalização do CONFAP e de sua atuação na divulgação, difusão e popularização da ciência. Ainda vai colher contribuições dos presidentes de FAPs para finalizar o documento que norteará sua gestão, a partir do dia 17 de março.

Doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Maria Zaira Turchi é professora titular da Universidade Federal de Goiás, onde foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística e pró-reitora de Pesquisa. Turchi também foi vice-presidente da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Letras e Linguística.

Luta pelo semiárido

Claudio Furtado, doutor em Física pela Universidade Federal de Pernambuco, vai acumular a função de vice-presidente do Confap com as de presidente da FAPESQ  e professor da Universidade Federal da Paraíba, onde foi chefe do Departamento e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Física.

“O momento agora é de implementar e continuar várias ações; reafirmar posição junto aos órgãos parceiros e instrumentalizar essas cooperações entre as fundações;  aumentar a interação entre as fundações estaduais, regionais e até nacionais com editais conjuntos, buscando fortalecer essa cooperação entre as FAPs, especialmente nesse momento de crise nacional”, salientou. “Um exemplo é que em breve vai ser lançado um edital com as FAPs do Nordeste, a Embrapa e a França, voltado ao Semiárido e às Cidades Inteligentes, entre outros pontos relevantes para a região. Ainda há a questão do Marco Legal de Ciência e Tecnologia, pois o CONFAP já vem há tempo lutando pela sua regulamentação em nível nacional. Também pretendemos fomentar a implementação dessas modificações na área de C&T nas Legislações Estaduais”, acrescenta o Prof. Furtado.

Eles sucedem Sergio Gargioni, presidente da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina), que dirigiu o CONFAP em duas gestões, e cujo mandato termina dia 16 de março. O Prof. Gargioni resumiu sua atuação: “firmamos parcerias com agências nacionais e internacionais, aproximando o CONFAP de agências como parceiro e ator importante”. Ele recebeu uma placa durante a homenagem que marcou a abertura do Fórum sediada no auditório da FAPESP e que contou com a presença da presidente da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), Helena Nader, entre outras autoridades.

Sobre isso, leia notícia: Homenagem ao presidente do CONFAP marca a abertura do Fórum

“Vamos dar continuidade a gestões profícuas que levaram o CONFAP a um patamar de importância e inserção nacional e internacional que traz grandes oportunidades,” ressalta a Professora Zaira, que não terá cerimônia de posse oficial nesta sexta-feira.

Fontes: Coordenadoria de Comunicação do CONFAP, Assessoria de Comunicação Social da FAPEG e Agência FAPESP

Matéria correlata, da Ascom FAPEG:

Zaira Turchi é eleita por aclamação presidente do Confap