| Em 19/09/2018

Pesquisadores de São Paulo e do Canadá aumentam colaboração científica

A Fapesp e o Conselho de Pesquisa em Ciências Naturais e Engenharia do Canadá (NSERC, na sigla em inglês) assinaram, na terça-feira (11/09), a renovação de um memorando de entendimento com o objetivo de promover a colaboração em ciência, tecnologia e inovação, em áreas de interesse mútuo.

As duas instituições se comprometeram no acordo a identificar oportunidades e fomentar a cooperação científica e tecnológica entre pesquisadores vinculados a universidades e instituições de pesquisa de São Paulo e do Canadá.

“Estamos dispostos a fortalecer e ampliar a colaboração em ciência e tecnologia com o Canadá, que tem sido muito profícua”, disse Eduardo Moacyr Krieger, presidente interino da Fapesp, durante a cerimônia de assinatura.

A Fapesp tem feito esforços significativos nos últimos anos para aumentar a colaboração científica de pesquisadores vinculados a universidades e instituições de pesquisa no Estado de São Paulo com colegas do exterior por meio de acordo com agências de fomento congêneres e universidades.

Esses esforços resultaram em um salto na porcentagem de artigos publicados por pesquisadores de São Paulo em coautoria com colegas do exterior de pouco mais de 25% [do total publicado], em 2010, para quase 40% atualmente, destacou Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp, durante o evento.

A ampliação da colaboração em pesquisa entre cientistas de São Paulo e do Canadá nos últimos anos, por exemplo, resultou em um aumento de 400 artigos publicados em coautoria em 2010 para mais de 900 nos últimos anos. O impacto dessa pesquisa colaborativa, em temos de citação internacional, quase que duplicou no mesmo período.

“Quando pesquisadores de São Paulo e do Canadá ou de outros países trabalham juntos o impacto de suas pesquisas torna-se maior do que se fizerem suas pesquisas isoladamente”, disse.

Segundo Brito Cruz, a pesquisa em colaboração entre São Paulo e o Canadá tem aumentado em todas as áreas do conhecimento, especialmente em Ciências Biológicas, Saúde, Ciências Exatas e da Terra e Engenharia – essas últimas contempladas pelo NSERC.

Um dos três conselhos de pesquisa canadense – os outros dois são o Canadian Institutes of Health Research (CIHR) e o Social Sciences and Humanities Research Council (SSHRC) –, o NSERC promove a descoberta científica por meio do financiamento de estudantes de pós-graduação e pesquisadores e estimula a inovação em empresas do país.

Este ano, o Comitê de Coordenação de Pesquisa do Canadá aprovou um aumento de 354,7 milhões de dólares canadenses (mais de R$ 1 bilhão) no orçamento do NSERC para apoiar a pesquisa fundamental nos próximos cinco anos. Além disso, propôs um novo financiamento de 275 milhões de dólares canadenses (cerca de R$ 875 milhões) para criação de um novo fundo para apoiar pesquisas internacionais, multidisciplinares, de alto risco e de resposta rápida, contou B. Mario Pinto, presidente do NSERC.

Alguns dos objetivos do fundo, que será compartilhado pelas três agências canadenses, será alcançar a excelência em pesquisa global de várias formas, por meio de chamadas conjuntas de agências de fomento à pesquisa congêneres no mundo.

“Essa iniciativa representa uma grande oportunidade para que pesquisadores do Canadá em colaboração com cientistas de São Paulo possam desenvolver projetos ousados”, disse Pinto à Agência Fapesp.

“A renovação do memorando de entendimento com a Fapesp possibilita continuarmos a investir conjuntamente em colaborações científicas em bases sustentáveis, agora em um novo patamar”, avaliou.

Mais informações sobre a cooperação entre a Fapesp e NSERC: www.fapesp.br/6925.

Fonte: Agência Fapesp.