Pesquisadores de Sergipe desenvolvem cartilha sobre educação ambiental

Estimular em crianças a preocupação com o meio ambiente é a proposta do projeto da doutora em Psicologia Social, Zenith Delabrida. A proposta inovadora de educação ambiental está sendo aplicado em escolas da rede pública estadual em Aracaju envolvendo crianças de 10 a 12 anos. Um dos frutos do projeto é uma cartilha que serve como um manual para ser aplicado em outras escolas.

A pesquisadora Zenith Nara Costa Delabrida explica que o programa começa conquistando crianças para se envolverem com a questão do ambiente. Três técnicas foram aplicadas com as crianças: uma das técnicas o professor caminha e conversa com o aluno, a segunda técnica é a do poema dos desenhos em que a criança fala ‘eu gostaria que a escola fosse’. A terceira técnica é a matriz das descobertas. A matriz da escola é analisada junto com os alunos que entendem como cada ambiente da escola funciona.

“Depois que elas fazem essa avaliação a gente pede para a direção da escola ouvir as crianças. É incrível. Parece um material simples, mas é muito rico para melhorar a relação entre aluno e professor. Mostrar para a criança como o ambiente funciona. Quando a gente começa a discutir o uso do ambiente escolar, as crianças entendem como deveria utilizar melhor o espaço”, explica a professora.

O programa foi aplicado em quatro escolas: Colégio Aplicação, Colégio Estadual Francisco Portugal, Colégio Estadual Armindo Guaraná e o Colégio Estadual Prof. Gonçalo Rollemberg. O projeto foi desenvolvido com recursos da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE). Como o projeto já foi finalizado, o grupo pesquisadores submeteu o projeto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para que que ele possa ter continuidade e ser levado para outras escolas da rede pública.

“Acho que fizemos algo difícil e desenvolvemos uma tecnologia. Saímos da literatura e de aspectos teóricos e criamos um procedimento e testamos. A gente vê que não é muito claro ainda o impacto desse programa nas crianças, por isso esse projeto foi submetido ao CNPq e foi aprovado. Temos mais três anos para trabalhar nesse projeto”, enfatiza Zenith.

Prodeso
O projeto “Agentes mirins de educação ambiental: um trabalho em sistema” é fruto do Programa de Apoio ao Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico para Setor de Saneamento em Sergipe (Prodeso) desenvolvido pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE). O edital tem por objetivo selecionar e apoiar projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação que visem a subsidiar a formulação políticas públicas e a geração de resultados científicos e tecnológicos em linhas temáticas específicas de interesse prioritário para a Deso.

Fonte: Comunicação Fapitec.

Tags: