| Em 18/05/2018

Prêmio Roberto Santos chega à quarta edição com reconhecimento da produção científica baiana

Pelo quarto ano consecutivo, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) premiará um cientista baiano pelo trabalho de excelência na sua grande área de conhecimento. O Prêmio Roberto Santos de Mérito Científico receberá indicações de pesquisadores de Ciências Biológicas e da Vida, até o dia 08 de julho, através de um endereço eletrônico (premiorobertosantos@fapesb.gov.ba.br). Além de uma placa de Honra ao Mérito, o premiado receberá o valor de R$ 30 mil.

A premiação busca reconhecer o percurso de doutores que prestam contribuição à pesquisa, tecnologia e desenvolvimento da Bahia. Para Lázaro Cunha, diretor geral da Fapesb, essa iniciativa contribui para dar maior visibilidade à produção da comunidade científica baiana. “Esses pesquisadores têm significativa relevância para o desenrolar socioeconômico do estado e isso merece o reconhecimento da sociedade”, afirma. Além disso, o professor explica que o nome do cientista Roberto Santos se confunde com a trajetória de ascendência da pesquisa na região.

As indicações podem ser feitas por pró-reitores de pesquisa e pós-graduação de universidades, diretores de institutos e/ou centros de pesquisa científica e/ou tecnológica, além de pesquisadores bolsistas de produtividade nível 1 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e coordenadores dos Programas de Pós-Graduação reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Desde 2015, o Prêmio Roberto Santos é concedido anualmente, em sistema de rodízio, a cada uma das três grandes áreas do conhecimento: a) Ciências Biológicas e da Vida; b) Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; c) Ciências Humanas, Sociais, Letras e Artes. Por isso, nesta quarta edição, a premiação volta ao início do ciclo, contemplando os nomes que atuam no primeiro campo de pesquisas citado.

  • Etapas do processo

O vencedor será escolhido a partir da avaliação de critérios qualitativos e quantitativos de produtividade: trabalhos científicos e/ou tecnológicos, relevância e resultados alcançados pelos estudos, contribuição na formação de recursos humanos, além dos impactos obtidos pelas suas pesquisas em âmbito econômico e social.

O processo de escolha do pesquisador premiado passará por três etapas: 1ª) consulta pública dirigida a pró-reitores, diretores e pesquisadores do campo; 2ª) uma Comissão Examinadora selecionará até dez nomes indicados; 3ª) e, por fim, um Comitê de Especialistas, formado por doutores de fora do Estado da Bahia com expertise na área contemplada, nomeará o pesquisador baiano vencedor. Para critérios de seleção e mais informações, o edital está disponível aqui.

  • Pesquisadores premiados

2017 – Ciências Humanas, Sociais, Letras e Artes

O autor Pedro de Almeida Vasconcelos foi o vencedor da terceira edição do Prêmio Roberto Santos. Indicado pela Universidade Católica do Salvador (UCSal) e também professor titular do Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA), seus trabalhos estão concentrados nas áreas de geografia histórica, geografia urbana e urbanismo. Doutor pela Universidade de Ottawa (Canadá), ele já assinou 56 artigos científicos, além de 36 capítulos de livros e obras, como Salvador: transformações e permanências (1549-1999) e Dois séculos de pensamento sobre a Cidade.

2016 – Ciências Exatas, da Terra e Engenharias

Na segunda edição do prêmio, o doutor Jailson Bittencout recebeu a honra ao mérito. O pesquisador baiano traz no currículo a presidência da Academia de Ciências da Bahia, além de ter recebido, por duas vezes, a Ordem Nacional do Mérito Científico do Governo Brasileiro: em 1998, no grau Comendador, e em 2009, no grau Grã-Cruz.  Pós-Doutor pelo Brookhaven National Laboratory (EUA), a atuação de Jailson na pesquisa científica da Bahia envolve a química inorgânica, química analítica, química ambiental, além de energias e combustíveis.

2015 – Ciências Biológicas e da Vida

O baiano Maurício Lima Barreto, doutor em epidemiologia (Universidade de Londres), recebeu o título no primeiro ano do Prêmio Roberto Santos. Docente da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/BA), ele é médico e mestre em saúde comunitária (UFBA). Publicou 355 artigos científicos, entre 1974 e 2015, além de dois livros e 47 capítulos de livros. Suas pesquisas estão concentradas nas áreas de saúde coletiva e da epidemiologia das doenças infecciosas.

  • Sobre Roberto Santos

Natural de Salvador, Roberto Figueira Santos é ex-governador da Bahia, ex-ministro da Saúde e ex-reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Com respeitada trajetória científica e política no Brasil, fundou e dirigiu a Academia de Ciências da Bahia (ACB). Filho de Carmem Figueira e do primeiro reitor da UFBA, o médico e político Edgard Santos, Roberto formou-se em medicina e recolheu experiências em centros de ensino nacionais e internacionais, como Michigan, Harvard e Cambridge. Além disso, atuou como presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e integrante do conselho diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Serviço

O quê: Prêmio Roberto Santos de Mérito Científico

Quando: indicações até dia 08 de julho

Mais informações no edital

Fonte: Comunicação Fapesb.