| Em 14/07/2017

Primeira edição do programa Sinapse da Inovação Espírito Santo recebe 1272 ideias

Já se sabia que os capixabas entendem de café, rochas ornamentais e de uma boa moqueca. Mas nas últimas semanas ficou evidente que o Espírito Santo também entende, e muito, de boas ideias. Ontem, dia 12 de julho, foram encerradas as inscrições para o Sinapse da Inovação Espírito Santo, uma realização do Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), em parceria com a Fundação CERTI e com o Sebrae/ES.

No total, 1272 ideias inovadoras foram submetidas no portal e mais de 5 mil empreendedores foram capacitados na primeira fase do programa. Este foi o segundo maior número de ideias submetidas da história do Sinapse da Inovação desde sua criação em 2008, em Santa Catarina. As ideais são provenientes de 57 municípios capixabas. 1008 são da região Metropolitana, 78 da região Norte do estado, 118 do Sul, e 68 da região Central. As cidades com maior número de ideias selecionadas foram Vitória (374 ideias), Vila Velha (315), Serra (169), Cariacica (82) e Cachoeiro de Itapemirim (57).

Das 1272 ideias, 600 foram submetidas por estudantes, professores e pesquisadores vinculados a 22 instituições de ensino. As instituições com maior número de ideias submetidas são a Universidade de Vila Velha (UVV), com 180 ideias; a Universidade do Estado do Espírito Santo (UFES), com 126; e o Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), com 95.

Do total, 27,8% das ideias apresentadas são referentes à área temática de Tecnologia Social; 22,3% a de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e 16,4% se enquadram em Gestão. Automação (10,8%), Eletroeletrônica (8%), Química e Materiais (7,5%), Biotecnologia (6,8%) e Nanotecnologia (0,3%) também são áreas temáticas contempladas. Quanto aos setores de aplicação das ideias, Grande parte são de TIC (438), Economia Criativa (381), Saúde e Bem Estar (360), Meio Ambiente (302) e Educação (281).

Dentre os participantes, a maior parte possui entre 18 e 30 anos (54%), 21% são pós-graduados, 6% estão cursando a pós-graduação, 17% têm curso superior concluído e 42% estão cursando o ensino superior. Também apresentaram ideias pessoas com formação técnica (3%) e com o ensino técnico em andamento (2%), ensino médio concluído (5%) e em andamento (2%), além de ensino fundamental (2%).

A próxima etapa do programa selecionará as melhores ideias para receber o fomento em três fases: Fase I, que selecionará 300 projetos, Fase II, que serão 150 selecionados, e na Fase III, 40. A avaliação das ideias inscritas será realizada por especialistas de todo o estado e de Santa Catarina. O resultado final será divulgado no dia 10/01/2018. As ideias contempladas receberão R$ 50 mil em subvenção da FAPES. Ao longo de todo o processo os participantes receberão diversas capacitações para aprimorar e validar seus projetos.

Impacto na cultura empreendedora
O Programa foi idealizado com o objetivo de aplicar as boas ideias desenvolvidas por estudantes, pesquisadores ou profissionais dos diferentes setores do conhecimento, transformando-as em negócios de sucesso.

Além de fomentar a área da inovação através do empreendedorismo, a criação de novas empresas influencia na economia e aumenta as oportunidades de emprego. O Sinapse da Inovação foi concebido pela Fundação CERTI e apoiado pela FAPESC em 2008 com o objetivo de aumentar o investimento em inovação tecnológica no estado de Santa Catarina a partir da transformação de ideias inovadoras em negócios de sucesso. Desde 2008 no seu projeto piloto, o Programa já deu origem a quase 400 startups inovadoras, com faturamento anual médio de R$ 120 milhões por ano e gerou mais de 1,5 mil empregos diretos. As empresas sinápticas já vendem suas soluções inovadoras para 36 países.

Diante deste contexto, há o estabelecimento de uma ponte entre a comunidade interessada em aplicar suas ideias inovadoras e a criação de novos negócios, propiciando um ambiente empreendedor e a cooperação entre os diferentes atores do processo de inovação.

No início do ano de 2015, o programa foi exportado para o estado do Amazonas, onde a primeira edição recebeu quase 1,2 mil ideias e agora inicia sua primeira edição no Espírito Santo. O impacto positivo gerado através do incentivo do Programa pode ser visualizado nos resultados alcançados e há uma tendência de conquistar cada vez mais o seu espaço no desenvolvimento da economia brasileira.

Fonte: Comunicação Fapes (texto: Fernanda Magalhães).