| Em 15/03/2019

Primeiro dia do Fórum do Confap em Brasília destaca ações com parceiros e homenagens

Foto: Coordenação de Comunicação Social do Confap.

O Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) abriu na manhã desta quinta-feira, dia 14 de março, o primeiro dia do Fórum Nacional da entidade, que reúne as 26 Fundações de Amparo às Pesquisa (FAPs) dos estados brasileiros e do Distrito Federal, além de parceiros nacionais e internacionais. Realizada na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em Brasília (DF), esta é a primeira edição do Fórum de 2019.

A solenidade de abertura, realizada no auditório do CNPq, foi presidida pela presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, e contou com a participação do secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTIC), Marcelo Morales, representando o ministro Marcos Pontes; do presidente do CNPq, João Luiz Filgueiras de Azevedo; do presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Anderson Ribeiro Correia; e do presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Waldemar Barroso Magno Neto.

A presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, destacou a importância do Confap e das Fundações como entidades estratégicas e indispensáveis para o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI). “A atuação do Confap e das FAPs é pautada no respeito às diferenças regionais e na necessidade de continuar e ampliar as parcerias com as diferentes agências e organismos. Essas parcerias promovem discussões profícuas e encaminhamentos necessários para o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação”, pontuou.

De acordo com o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTIC, Marcelo Morales, o ministro tem grande atenção ao Sistema e reconhece o papel das Fundações de Amparo à Pesquisa para o fomento à ciência, tecnologia e inovação no País. “Os recursos estaduais se somam aos recursos federais e são fundamentais na manutenção e desenvolvimento de programas importantes”, sinalizou. Ele citou como exemplo os Institutos Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação (INCTs), nos quais os recursos aportados pelas Fundações foram maiores do que aqueles disponibilizados pelo governo federal. Ele também citou as ações do Ministério que vão ser desenvolvidas e podem ser articuladas com as Fundações.

O presidente do CNPq, João Luiz Filgueiras de Azevedo, que cedeu o espaço do Conselho para a realização do evento, ao dar as boas-vindas aos participantes, ressaltou a maneira como o Confap tem sido parceiro da entidade para a realização de ações no Estados. Ele também afirmou que a participação da professora Zaira Turchi no MCTIC deverá contribuir ainda mais para o avanço das ações envolvendo os entes que compõem o SNCTI.

Tecnova 2
Ao final da cerimônia, foi realizada a assinatura dos contratos do Tecnova 2, entre a Finep e as Fundações de Amparo à Pesquisa dos Estados de Alagoas, Maranhão, Paraná, Pernambuco, Piauí e Santa Catarina. Os termos foram assinados pelo presidente da Finep, Waldemar Barroso Magno Neto, o diretor da Finep, Wanderley de Souza, e os presidentes Fábio Guedes (Fapeal); Alex Oliveira (Fapema), Ramiro Wahrhaftig (Fundação Araucária), Abraham Sicsú (Facepe), Francisco Guedes (Fapepi) e Fábio Holthausen (Fapesc).

O Tecnova tem por objetivo ampliar, por meio de subvenção econômica, as atividades de inovação e incrementar a competitividade das empresas e da economia do País. A subvenção pode ser aplicada no custeio de atividades de pesquisa, de desenvolvimento tecnológico e de inovação em empresas nacionais.

Parcerias nacionais e internacionais
Ao longo do dia, também foram debatidos assuntos pertinentes a políticas públicas de fomento à pesquisa científica, tecnológica e de inovação, envolvendo o Confap, no conjunto de suas Fundações, as agências nacionais e os organismos internacionais. Foram analisados programas e parcerias já existentes, bem como pensadas novas atividades envolvendo recursos e esforços dos organismos envolvidos.

Além do MCTIC, CNPq, Capes e Finep, também participaram das discussões a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), o Ministério da Saúde e o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). Da parte internacional, estiveram presentes os parceiros da União Europeia e do Reino Unido.

Foto: Coordenação de Comunicação Social do Confap.

O presidente da Capes, Anderson Ribeiro Correia, trouxe um panorama da Pós-Graduação no País, que registrou crescimento nos últimos anos. Ele ressaltou que a pasta deverá honrar os convênios já firmados com as FAPs e o papel das Fundações na realização de programas importantes para a ciência, tecnologia e inovação no País.

O presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, trouxe a perspectiva da empresa e das ações no Estados, sobretudo para o avanço da inovação industrial. Ele ressaltou que já há a parceria da Embrapii com algumas FAPs e que existem negociações com outros estados em andamento.

A coordenadora nacional do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS), Marge Tenório, apresentou a atual situação do programa e expôs a intenção do Ministério para o lançamento de uma nova rodada do programa. Também se apresentaram a assessora do CGEE, Adriana Badaró, sobre a avaliação dos INCTs; o diretor da Finep, Wanderley de Souza, e o Chefe do Departamento de Fomento entre as Ciências Aplicadas e as Áreas de Inovação, Marcelo Camargo, sobre os programas Centelha e Tecnova 2; e o assessor executivo do MCTIC, Luiz Fauth, sobre o projeto Ciência Aberta do Ministério.

Da parte internacional, a encarregada de Negócio a.i., Delegação da União Europeia no Brasil, Claudia Gintersdorfer, ressaltou a parceria profícua na cooperação com o bloco, tanto no aspecto bilateral, quanto multilateral. Ela afirmou que a União Europeia tem o Brasil como importante parceiro e que estão dispostos a continuar fortalecendo a cooperação. Na sequência, a representante do Setor de Ciência e Tecnologia da Delegação da União Europeia no Brasil, Laura Maragna, destacou as possibilidade e atuação do programa Horizonte 2020 para os próximos meses.

Foto: Coordenação de Comunicação Social do Confap.

Representando o Reino Unido, outro importante parceiro do Confap, a Diretora de Ciência e Inovação Fundo Newton, Cindy Parker, falou sobre as estratégias de investimento do Fundo no Brasil e do Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação, que tem realizado uma série de eventos para promover as parcerias desenvolvidas, incluindo aquelas com o Confap. Também se apresentaram Diego Arruda (Fundo Newton), Diana Daste e Vera Oliveira (Conselho Britânico).

Foto: Coordenação de Comunicação Social do Confap.

Ao final da programação do dia, os participantes do Fórum foram convidados para a Embaixada Britânica, onde foram recebidos pelo embaixador Vijay Rangarajan. O jantar foi oferecido dentro da programação do Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação. Na oportunidade, o Confap realizou a entrega da primeira edição do Troféu Confap Reconhecimento em Prol da Ciência, no qual foram homenageados o ex-presidente do Confap e do CNPq, professor Mario Neto Borges, por sua atuação para o avanço da ciência, tecnologia e inovação; e a Embaixada Britânica, pela parceria desenvolvida pelo Confap e as Fundações, desde 2014, além das comemorações do Ano Brasil e Reino Unido.

Foto: Felipe Bastos.

O Fórum continua nesta sexta-feira, com a eleição da nova gestão e encaminhamentos internos.

Coordenação de Comunicação Social do Confap