Projetos de Pesquisa para Publicação Científica em Rondônia ganham investimento de R$ 120 mil por meio da Fapero

Estão em fase de contratação sete projetos de pesquisa pelo Programa de Apoio à Pesquisa para Publicação Científica (PAP Publica), da Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa (Fapero). O montante do investimento é de R$ 120 mil, com recursos próprios do governo estadual.

Os projetos são diferentes segmentos de pesquisa. São eles: “Solos no Noroeste do Brasil: Propriedades e Potencialidade (R$18 mil); Cineastas Indígenas, Documentário e Autoetnografia: um estudo do projeto de vídeo nas aldeias (R$ 17,9 mil); Formação de Professores: Diferentes Abordagens sobre a Educação e a Prática Docente (R$ 15,5 mil); Das matas rios e cidades: culturalidades e historicidades rondonienses (R$ 8,026 mil), Lendo Jornal e Mapeando a Cidade: Reflexões e olhares sobre Porto Velho através das publicações do jornal Alto Madeira (R$ 27,9 mil); Projeto Estudos Regionais de Rondônia: Obras Impressas (R$ 12 mil); e o último, Partilhas Literárias para a Elaboração de Práticas de Leitura Interdisciplinares: Proposta de Mediação em Escolas Públicas do Município de Vilhena.

Segundo o presidente da Fapero, Francisco Elder Souza de Oliveira, o programa apoia a popularização da ciência e divulgação, com a publicação de livros, coletâneas, catálogos, editoração eletrônica, e revistas, dando ao trabalho técnico-científico o registro público para conhecimento geral. “Para isso criamos esse programa, no final de 2017, e agora já estamos em fase de contratação. A seleção é muito isenta, sendo feita por consultoria externa composta por especialistas, e depois a nota enviada por eles volta para a comissão interna da Fapero, onde há a escolha dos projetos”.

Elder lembra que, antes da gestão Confúcio Moura, não havia incentivos para o setor da pesquisa da forma como deve ser, a não ser pela contratação de doutores de outros estados para, através de bolsas de fixação, para a formação de profissionais (doutores) em Rondônia. “Todos os programas que temos hoje, foram implantados pela Fapero, que desde 2012 trabalha para incluir melhorias na área. Agora nós temos um norte para a pesquisa e a ciência”, diz.

Dos investimentos em programas de 2017, Rondônia aplicou R$ 4.292,800 milhões, e ainda estão previstos pra 2018 outros R$ 8.690,412 milhões. O presidente destaca o PAP SUS, que já foi aprovado com o valor de R$ 400 mil com recursos federais, e a PAP Sanidade Animal, que deve ser implantado, no valor de R$ 2 milhões. “Esse programa de Sanidade Animal é incrível. Envolve todo o universo do animal, como o pasto e as pragas. De suma importância para detectarmos a origem e a solução para problemas no campo. Pesquisa não se faz em pouco tempo ou sem recurso. Para isso precisamos investir tempo e dinheiro para o estado cresça”, conclui Elder.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia (texto: Vanessa Farias).

Tags: