Trabalho feito na Esalq, com apoio da Fapesp, receberá prêmio no Japão

Estudo desenvolvido no curso de Engenharia Florestal, com apoio da FAPESP, analisa potencial da madeira de laranjeira para diversas finalidades produtivas. Foto: Carolina Kravetz.

O artigo Qualitative Analysis of the Extractives of Orange Wood, publicado na revista Wood and Fiber Science, nos Estados Unidos, recebeu o prêmio George Marra de 3º lugar em Excelência na Escrita com relação aos artigos publicados no ano de 2017.

A publicação foi baseada em pesquisa desenvolvida na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), com apoio da Fapesp, sobre o potencial da madeira de laranjeira para diversas finalidades produtivas.

O prêmio é concedido pela Society of Wood and Science Technology (SWST) e será entregue na convenção anual da SWST, que ocorrerá de 5 a 9 de novembro de 2018 em Nagoya, Japão.

O trabalho é de autoria de Carolina Kravetz, com coordenação do professor José Otávio Brito. A partir da utilização das técnicas de cromatografia gasosa acoplada a espectrômetro de massa e microextração em fase sólida, foram extraídos 221 componentes químicos da madeira de laranjeira. “Desse total, 33 deles foram identificados com alta confiabilidade”, disse Kravetz.

Ela iniciou o trabalho na iniciação científica, com a proposta de realizar a avaliação do potencial químico de extrativos e de produtos da pirólise da madeira de laranjeira.

Mais informações: https://goo.gl/219RYK.

Fonte: Agência Fapesp.

Tags: