| Em 31/03/2020

Especialistas afirmam que estilo de vida saudável e medidas de prevenção contra doenças devem ser contínuas

 

 

Visando a melhoria dos serviços públicos de saúde, o Governo do Estado do Tocantins por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt) tem apoiado o desenvolvimento de pesquisas científicas nas diversas áreas do conhecimento. Como o Estado possui instituições de ensino superior que conta com pesquisadores, vários estudos têm sido realizados com foco na solução de problemas de saúde pública. Diante do isolamento social em que o país se encontra, a qual objetiva a redução da contaminação, medidas de prevenção contínuas são fundamentais, bem como a manutenção de um estilo de vida saudável, afirmam especialistas.

“Várias iniciativas do governo têm sido feitas para coibir a disseminação de doenças no Estado, em especial a do Coronavírus, como a liberação de recursos financeiros, aquisição de kits de diagnósticos, EPI’s, isolamento social e férias antecipadas. A expectativa é que essas medidas protetivas surtam efeito sobretudo no achatamento da curva e controle da pandemia. Desta forma a comunidade científica do Estado, já está de prontidão para colaborar e desenvolver suas atividades contra a epidemia,” declara o Presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa do Tocantins (Fapt), Prof. Dr. Márcio Silveira.

Segundo o médico infectologista e professor Doutor da UFT, Flávio Milagres, é muito importante que as pessoas sigam as recomendações de prevenção para evitar a transmissão do vírus. “Devemos manter as vacinas em dia, conseqüentemente imunizar contra a influenza. Além disso, uma dieta aliada a hábitos saudáveis de vida são fatores que podem contribuir com o fortalecimento do sistema imunológico”, explica. Também enfatizou que o uso moderado da água sanitária para higienização de superfícies é muito eficaz para matar germes, bactérias e vírus.

Prevenção Contínua

Para o estudante de medicina e enfermeiro epidemiologista, Whisllay Bastos, medidas de prevenção contra doenças são fundamentais, especialmente contra o coronavírus. Mas vale ressaltar que todos estes cuidados deveriam ser praticados não somente durante um surto, de epidemia ou pandemia, mas de forma contínua, a fim de reduzir o número de casos e a disseminação de doenças.

Bastos reafirma ainda, sobre a importância da manutenção dos hábitos de prevenção em qualquer circunstância suscetível ao contágio, e todo cuidado é necessário, pois o vírus transmite de pessoa para pessoa pelas gotículas respiratórias ou contato direto com secreções contaminadas, como: saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal, aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas seguido de contato com boca, nariz ou olhos. “As pessoas que se enquadram no grupo de risco, como as portadoras de doenças crônicas respiratórias, asmáticos, diabéticos, idosos, devem ter cuidados redobrados, por ter mais probabilidade de serem atingidas não só por coronavírus, mas por qualquer outra doença viral”, disse o enfermeiro.

O Biomédico, mestrando em Biotecnologia com foco em Saúde Pública, Diego Rodrigues que atua na UFT campus Gurupi, reforça a importância das medidas de prevenção que o Ministério da Saúde preconiza, as quais devem ser obedecidas, como o isolamento social para evitar disseminação de vírus. “O controle das doenças contagiosas depende do ser humano, das informações seguras sobre prevenção, da consciência, como manter um simples hábito de lavar as mãos adequadamente com água e sabão por ser tão eficaz quanto o álcool em gel. É preciso ainda evitar presença em áreas endêmicas, principalmente onde há casos de pessoas infectadas por doenças”, explicou o pesquisador.

Nutrição

O nutricionista Sandro Machado, lembra que existem diversas pesquisas científicas provando a eficácia da prática de um estilo de vida saudável para se ter saúde e prevenir doenças. Destaca que os alimentos são grandes aliados, principalmente o consumo de vegetais que reduz o risco de doenças cardiovasculares por exemplo. “Os vegetais verdes, os escuros como espinafre, couve, rúcula, e de outras cores diferentes como abóbora, beterraba, inhame, além do consumo de frutas cítricas, uso da vitamina D proveniente do banho de sol, e uso de própolis, tem um valor nutricional significativo e são excelentes para saúde”, enfatiza.

Machado ressalta que a exclusão de alimentos açucarados e refinados, gordura, sal, conservantes e variedades de aditivos químicos, devem ser eliminados do cardápio diário, pois a conseqüência da má alimentação afeta as pessoas com o decorrer do tempo, impedindo uma velhice com saúde e sem qualidade de vida. Também alerta que não adianta apenas ter alimentação saudável, é preciso aliar à atividade física, como a dança, a fim de contribuir com o bom funcionamento do organismo, mas que isso deve ser permanente.

Atividade física

Para o momento de confinamento que muitos se encontram, o desafio é evitar a obesidade e o sedentarismo. O Educador Físico, Kaio Felipe Santos, orienta que mesmo em casa é possível manter a atividade física. Uma prática que requer disciplina, determinação e que pode ser feito no intervalo das ações do cotidiano. “Os exercícios em casa trazem efeitos positivos à saúde e à prevenção de doenças, como aeróbicos, anaeróbicos, isométricos que ajudam de forma significativa tanto para a saúde física quanto para a emocional, e que podem ser feitos na sala de casa, assistindo TV por exemplo”, ressaltou.

 

Fonte:  FAPT  (Texto: Geórgya Laranjeira)

 

> Siga o Confap nas Redes Sociais:    FACEBOOK   /   LINKEDIN   /   TWITTER    /    INSTAGRAM