| Em 17/02/2021

Estudo usa realidade virtual para encontrar formas de evitar quedas em mulheres idosas

(Foto: Anna Shvets/Pexels)

Com apoio da Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal  – FAPDF, pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB) vão iniciar o projeto que vai utilizar realidade virtual para desenvolver formas de prevenir a incidência de quedas em mulheres idosas.

Coordenado pela professora doutora da Faculdade de Ceilândia da UnB Ruth Losada, o projeto é intitulado “Realização de mapeamento cerebral e padrão neuromuscular de mulheres expostas ao medo de queda – uso da realidade virtual na otimização neuromecânica”. O objetivo principal do estudo é verificar a ativação cerebral e padrão neuromuscular durante a marcha frente à suposição do evento queda e determinar as grandes áreas cerebrais atuantes para o controle motor em relação ao medo à queda.

Para isso, os pesquisadores vão trabalhar com um idosas de 65 anos ou mais e adultas jovens entre 18 e 30 anos. São empregados instrumentos clínicos para avaliação do medo de queda e nível de atividade física, além da realização de mapeamento cerebral e treinamento mental por realidade virtual para verificar se ele consegue alterar o padrão neuromecânico encontrado. .

De acordo com a coordenadora da pesquisa, os resultados do trabalho podem contribuir para o estabelecimento de condutas preventivas, partindo da demanda cerebral. “Ao simular o medo de queda em idosas, conheceremos as áreas cerebrais ativadas durante os ajustes do sistema musculoesquelético das mesmas; e por meio de intervenção fisioterapêutica utilizando tecnologia de realidade virtual, buscaremos aprimorar as deficiências encontradas, melhorando a funcionalidade e prevenindo quedas de mulheres idosas”, afirma Ruth Losada.

A professora destaca a importância do fomento conquistado junto à FAPDF para a realização do estudo. “O fomento proveniente da Fundação contribui de forma decisiva para a execução desta pesquisa. Com os recursos financeiros viabilizamos a compra dos equipamentos necessários para a execução do projeto, e proporcionamos bolsas de iniciação científica para acadêmicos do curso de Fisioterapia, além de contribuir para a formação de novos pesquisadores, alunos do Programa de Pós-graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde da Faculdade UnB Ceilândia”, comemora a pesquisadora.

O estudo conta com R$ 145 mil em recursos obtidos no âmbito do “Edital 03/2018 – Demanda Espontânea, na área de conhecimento “Ciências da Saúde » Fisioterapia e Terapia Ocupacional”.

 

Fonte: FAPDF

 

> Siga o Confap nas Redes Sociais:   

FACEBOOK   /   LINKEDIN   /   TWITTER    /    INSTAGRAM   /   YOUTUBE