| Em 09/03/2020

FAPERJ lança edital para Meninas e Mulheres nas Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias

O Programa Meninas e Mulheres nas Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias – 2020, da FAPERJ será lançado nas próximas semanas. (Foto: wocintechchat / licença Creative Commons.)

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro – FAPERJ anunciou no dia 5 de março, que nas próximas semanas irá lançar um edital de apoio à participação feminina em áreas em que tradicionalmente a presença masculina ocorre com mais frequência, o Programa Meninas e Mulheres nas Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias – 2020.

Esta é uma iniciativa da Diretoria Científica que tem como objetivo incentivar mulheres pesquisadoras que contribuem de forma relevante para o desenvolvimento científico e para a formação de recursos humanos em ciência e tecnologia nas áreas de Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias. A Fundação já havia dado os primeiros passos de uma política de afirmação da igualdade de gênero ao adotar a concessão da licença-maternidade para todas as modalidades de bolsa de forma a conciliar as atividades de pesquisa de suas bolsistas com as demandas da maternidade. Além disso, foi ampliado o prazo considerado de produtividade na avaliação das propostas submetidas por mulheres aos editais Cientista e Jovem Cientista do Nosso Estado.

Este edital terá como intuito incentivar a participação e a formação de meninas e mulheres para as carreiras de Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias, estimulando as alunas do ensino fundamental e médio a se tornarem as pesquisadoras do amanhã nessas áreas. Segundo o estudo da editora Elsevier (relatório “Gender in the Global Research Landscape”, 2017), que mediu e analisou a participação de mulheres na área de pesquisa em diferentes regiões do globo, o cenário na área de Ciências Exatas, Tecnologia, Engenharia e Matemática não é muito animador. O estudo mostra que, no quinquênio 2011-2015, apesar de a participação feminina no Brasil ter crescido, dentro deste período de tempo, nota-se que a presença das mulheres nas áreas de Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias ainda é baixa. Por exemplo, em Engenharias há 3% de pesquisadoras mulheres na área, contra 7% de homens; 2% de mulheres para 5% de homens em Física e Astronomia; 1% de mulheres para 3% de homens em Matemática, e 2% de mulheres para 5% de homens em Computação.

O edital prevê incentivos voltados para promover o despertar do interesse vocacional de meninas e mulheres da Educação Básica (Ensino Fundamental a partir do 6º ano e do Ensino Médio) e do Ensino Superior para a pesquisa científica e tecnológica nas áreas de Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias mediante projetos desenvolvidos em escolas públicas do Estado do Rio de Janeiro.

A diretora Científica da FAPERJ, Eliete Bouskela, ressalta a importância da criação de ações em torno desta temática quando se trata de estimular a igualdade de gênero. “Nas áreas das Exatas e da Terra, Computação e Engenharias, o número de meninas que se inserem nesses campos continua pequeno. Além de reconhecer o problema, o desenvolvimento de ações e programas que estimulam a participação feminina na ciência deve ser difundido, por serem fundamentais para revertermos esse quadro”, afirmou Eliete.

O edital Programa Meninas e Mulheres nas Ciências Exatas e da Terra, Computação e Engenharias – 2020 estará disponível em breve no site www.faperj.br

Relatório editora Elsevier “Gender in the Global Research Landscape” –

https://www.elsevier.com/__data/assets/pdf_file/0008/265661/ElsevierGenderReport_final_for-web.pdf

 

Fonte:  FAPERJ 

 

> Siga o Confap nas Redes Sociais:    FACEBOOK   /   LINKEDIN   /   TWITTER    /    INSTAGRAM